Governo do Tocantins capacita mulheres do sistema prisional semiaberto


Visando a ressocialização das detentas, do sistema prisional semiaberto, ao mercado de trabalho e a sociedade, o Governo do Tocantins, por meio de parceira entre a Secretaria Estadual do Trabalho e Desenvolvimento Social (Setas) e Secretaria Estadual de Cidadania e Justiça (Seciju), promove curso de capacitação profissional em Panificação. O curso que teve início na quarta-feira, 18, acontece na Unidade de Regime Semiaberto Feminina de Palmas, no Aureny II, e prossegue até essa sexta-feira, 20.


A chefe da Unidade, Bruna Vieira de Lira, disse que a capacitação serve tanto para dar a essas mulheres uma condição de trabalhar por conta própria, quanto para a elevação da autoestima. "Aqui é uma unidade de transição, então este ambiente de aprendizado e profissionalização é fundamental para que se ressocializem e tenham condições de buscar uma fonte de renda", ressaltou ela.


Durante o curso elas aprenderão o processo de produção de pães, roscas, bolos doces, e salgados. A gastrônoma Kátia Cilene, instrutora do curso falou da importância da capacitação e da dedicação das alunas. "Antes do curso ministramos uma palestra sobre a importância de se estar capacitado e o que isso pode significar na vida das pessoas. Acho que teve resultado prático, porque elas estão se dedicando bastante no aprendizado", disse a monitora.


São sete detentas do sistema semiaberto e uma do sistema aberto que estão aprendendo a arte de panificação. A aluna A. G. F., de 34 anos, já havia cozinhado, mas não sabia fazer roscas e bolos. Ela disse que gostou muito de lidar com as massas e que pretende trabalhar na área. "Estou gostando muito de aprender a lidar com esses produtos e se for possível quero seguir nessa área", afirmou.


O gestor da Setas, Messias Araújo, falou sobre essa parceria entre as duas Pastas. "Essas ações promovem trabalho conjunto e são fundamentais para que tenhamos uma sociedade mais justa, possibilitando a quem deseja a oportunidade de transformar sua vida por meio de um trabalho honesto", enfatizou o secretário.


Inclusão Produtiva


A inclusão produtiva articula ações e programas que favorecem a inserção das pessoas no mundo do trabalho por meio do emprego formal, do empreendedorismo ou de empreendimentos da Economia Solidária.